Reformar as instalações hidráulicas: evitar 5 erros comuns

Por menor que seja a reforma hidráulica em casa, é preciso muita atenção, desde a escolhas dos materiais, mão de obra especializada, tudo precisa sair de forma certa, ao contrário, uma simples falha pode dar uma enorme dor de cabeça.

 

Mesmo nos imóveis novos, os materiais utilizados nas instalações hidráulicas tem um tempo de duração, por isso é necessário fazer sempre uma vistoria para ver se não há necessidade de trocar alguns itens em determinado prazo.

 

Uma dos maiores problemas que encontramos nas casas ou até mesmo em apartamentos, são as infiltrações. Quando chega nesse ponto, não há mais nada a fazer senão uma reforma. Dá muito trabalho quebrar paredes, ficar no meio da bagunça, porém com um bom planejamento fica mais fácil evitar problemas.

Continue lendo “Reformar as instalações hidráulicas: evitar 5 erros comuns”

Vidros para casa: descubra os melhores materiais para cada cômodo

A nova tendência de vidros de controle solar é a melhor novidade dos fabricantes para melhorar cada vez mais um setor que cresce imensamente dentro da construção civil. Ele é um recurso muito utilizado por arquitetos e decoradores, principalmente para integrar ambientes e dar aos cômodos um ar moderno.

 

Prático e acessível ele pode ser utilizado em qualquer espaço da casa, tanto na área externa quanto nos dormitórios. Existem diversos tipos de vidro no mercado: o comum, temperado ou laminado. Com esse material é possível deixar o ambiente mais clean, refinado e causar a impressão de amplitude. Continue lendo “Vidros para casa: descubra os melhores materiais para cada cômodo”

Aprenda o que fazer para tornar sua casa sustentável

As casas sustentáveis são também conhecidas como casas ecológicas. Essas casas são projetadas e construídas respeitando o meio ambiente, acompanhando os conceitos de desenvolvimento ambiental e assegurando o bem-estar dos moradores.

 

Infelizmente a construção civil tem grande culpa por muitos acontecimentos negativos no meio ambiente. A idéia da casa sustentável surgiu na década de 60, no intuito de diminuir esses impactos. Tudo isso envolvia o consumo de energia reduzido, aprimorar gastos com água e aperfeiçoar o uso de materiais.

 

Porém na maioria das vezes ela é executada em construções comerciais. O interessante é atrair mais adeptos em projetos residenciais. Veja algumas atitudes que vão tornar sua casa mais sustentável:

Continue lendo “Aprenda o que fazer para tornar sua casa sustentável”

Revestimento de banheiro: saiba como escolher o seu

Revestir um banheiro é a parte mais divertida e que pode transformar totalmente a decoração da sua casa. Para saber como decorar um banheiro funcional, existem vários detalhes que você precisa estar atento. Escolher os melhores revestimentos, louças, metais e acabamentos é excelente para assegurar um banheiro prático e funcional.

 

Existem outros fatores que devem ser levados em consideração como:

Continue lendo “Revestimento de banheiro: saiba como escolher o seu”

Reforma elétrica: quais materiais você vai precisar?

Na hora de construir ou reformar sua casa, não pense em economia, mas sim em materiais de alta qualidade, onde você pode contar com segurança e tranquilidade, evitando circuitos elétricos que é bastante comum acontecer.

 

Hoje em dia com a tecnologia que possuímos, ficou bem mais fácil comprar materiais de alta qualidade e de acordo com a lei todos tem certificado, além claro de escolher profissionais qualificados para fazer a instalação elétrica.

 

Caso você não entenda nada de elétrica, pergunte para os seus amigos, familiares, engenheiro ou arquiteto da sua confiança para evitar aborrecimentos como prejuízos e enganações.

Continue lendo “Reforma elétrica: quais materiais você vai precisar?”

Sistema de impermeabilização, como escolher?

Problemas na pintura como bolor, manchas escuras, fungos, bolhas na pintura causam estresse, afetam a estética do local além de causarem problemas respiratórios. Esses dramas são comuns à todos os lugares onde a impermeabilização não é feita de forma correta.

Não seja econômico na hora de impermeabilizar sua obra, pois os problemas causados pela má impermeabilização além de resultarem em dor de cabeça fazem um rombo no seu orçamento!

As áreas mais importantes são as áreas úmidas como coberturas, banheiros, lavabos, cozinhas, lavanderias, e com atenção redobrada para lajes e paredes.

Continue lendo “Sistema de impermeabilização, como escolher?”

Cuidados na hora de trocar a resistência do chuveiro.

Nada melhor do que um bom banho ao chegar em casa depois e um longo dia de trabalho não é mesmo? Mas, às vezes o banho quentinho e relaxante tão esperado não acontece por que o chuveiro não funciona. Na maioria das vezes o problema é resistência do chuveiro!

Um dos motivos mais comuns para que isso aconteça é quando a resistência do chuveiro queima. E é nessa hora bate o desespero afinal lidar com rede elétrica e trocar a resistência do chuveiro parece de fato um bicho de sete cabeças.

Resolver esse problema é mais fácil do que você pode imaginar! Você pode fazer a trocar da resistência do seu chuveiro. Acha muito complicado? Não é complicado confira as dicas e tire essa de letra!

Continue lendo “Cuidados na hora de trocar a resistência do chuveiro.”

Como escolher o rejunte certo para o seu piso e azulejo de uma vez por todas!

Você pode até pensar que a escolha do rejunte é uma das missões mais simples que se pode fazer em uma obra, mas é aí que vem o engano e surgem os erros causando problemas como deslocamento, fungos, mofo e assentamento mal feito.

Existem tipos específicos de rejuntes que você deve conhecer, são três tipos principais e você deve conhecê-los para que o acabamento final da sua obra seja nota 10!

 Tipos de massa de rejunte e local de aplicação indicados.

 

  • CIMENTÍCIO: Composto por cimento, mais agregados minerais, pigmentos para acrescentar cor e aditivos e polímeros componentes que definem onde o revestimento pode ser colocado. O rejunte cimentício pode ser instalado tanto no lado interno ou externo da residência ou em áreas banháveis.
  • ACRÍLICO: Composto a por resina acrílica, cimento, agregados minerais, pigmentos, aditivos e polímeros.
  • EPÓXI: É um bicomponente à base de resina tem alta capacidade de resistência e ser um material com alta capacidade de impermeabilidade e resistir a fungos e manchas.

 

Decidir o melhor rejunte entre essas três opções é o que vai garantir que o acabamento tenha excelente qualidade além de um belo acabamento.

Função do rejunte:

O rejunte tem a função de juntar as placas e melhorar as irregularidades dimensionais, o que facilita o alinhamento. Pode ser utilizado também para consertar eventuais desníveis e impermeabilizar o lugar.

Como realizar a aplicação:

A aplicação do rejunte deve ser realizado com as peças cerâmicas limpas e secas. Para preparar o rejunte é recomendável seguir as instruções da embalagem que normalmente indica uma consistência parecida com uma pasta, e o ideal é que a aplicação seja feita em duas horas.

Para aplicação o melhor é utilizar uma espátula que seja flexível ou de uma desempenadeira de borracha Após esperar por 40 minutos o rejunto já estará seco e você pode iniciar a limpeza com úmida e macia, e depois é só finalizar com um pano limpo.

Calcule antes de começar a aplicação do rejunte a quantidade de material necessário com base na largura das juntas em milímetros e o tamanho das peças em centímetros. Esse fator e a escolha do tipo apropriado de rejunte para sua peça podem garantir a eficiência do trabalho e um bom resultado final.

 

Detalhes importantes:

  • Cor. A cor do rejunte deve ser pensada de acordo com as suas necessidades e o local onde vai ser aplicado. Banheiros e cozinhas podem ter rejunte branco? Sim podem, mas é claro que vão exigir mais cuidados e limpeza, então além da estética pense na praticidade.
  • Local de aplicação: Você também deve levar em consideração os seus próprios critérios já que todos podem ser instalados em áreas externas e internas, paredes e pisos de todos os ambientes da sua casa.
  • Tamanho da junta: Fique atento! Rejuntes cimentícios são indicados para juntas maiores, e para juntas menores podem ser usados os rejuntes acrílico ou epóxi.
  • Valores: O rejunte cimentício é o mais barato, em compensação o acabamento não fica tão delicado. Agora o acrílico é um pouco mais caro, no entanto é mais liso. No caso do epóxi é necessário mão de obra especializada, pois qualquer defeito na aplicação causará um prejuízo que só pode ser reparado com a troca das placas.

Por que em algumas cidades a tensão é de 110volts e em outras 220 volts?

Você já parou para pensar o porquê a tensão elétrica em algumas cidades varia entre 110 volts e 220 volts? É algo que ficamos nos perguntando, mas nem sempre encontramos a resposta correta. Nesse artigo reunimos algumas curiosidades sobre essa diferença de voltagens que existem no Brasil.

 As diferenças de 110 volts e 220 volts em cidades do Brasil estão ligadas ao início da industrialização.

A industrialização do país está ligada a essa questão. Segundo o engenheiro eletricista Hilton Moreno, consultor técnico do Procobre (Instituto Brasileiro do Cobre), as diferentes voltagens tiveram origem no começo da implantação da eletricidade no Brasil, no início do século 20.

No inicio somente as empresas estrangeiras possuíam eletrificação, e o Brasil acabou sofrendo com essa influência. As empresas norte-americanas usavam a voltagem 110 volts e as europeias, 220 volts.

Nas cidades com maior concentração de empresas europeias adotou-se a voltagem de 220 volts, como por exemplo, Santa Catarina, por conta da grande concentração de imigrantes alemães, italianos e portugueses.

No Sudeste a situação foi diferente, e os 110 volts foram adotados por ser um pólo importador de equipamentos eletrônicos norte-americanos, que utilizam essa tensão. Na época foram realizados estudos para avaliar a possibilidade de converter as instalações, porém era totalmente inviável.

O gerente de engenharia e qualidade da SIL Fios e Cabos Elétricos, Nelson Volyk, conta que  que dependendo da região do Brasil, as residências recebem a eletricidade com tensão de 110V, 115V, 127V e 220V, ou unindo 220V com uma das outras três tensões citadas, sendo chamados de sistema monofásico ou monofásico a dois ou três condutores.

Qual voltagem é a melhor e mais econômica?

As voltagens de 110 volts e 220 volts têm o mesmo desempenho, consumo de energia e grau de periculosidade. Não vai modificar em nada em relação ao consumo de energia se for 110 volts ou 220 volts.

O que faz a diferença no consumo de energia é a potência elétrica (Watts) dos aparelhos que estão ligados na instalação e não a tensão (Volts). Um choque em qualquer uma das voltagens é igualmente perigoso e capaz de causar morte.

A única diferença entre as voltagens de 110 volts e 220 volts está relacionada ao dimensionamento dos componentes da instalação elétrica, já que usar tensão nominal 220 volts permite que os fios que vão transportar a energia pela residência sejam de calibre menor, isto é, mais finos do que os usados para 110volts, tornando a instalação mais barata.

No Brasil é comum usar 110 volts para a alimentação de lâmpadas e tomadas, e 220 volts para equipamentos de alta potência, como ares condicionados, chuveiros e torneiras elétricas.

No entanto a escolha da tensão nominal não é totalmente do usuário. Já que existem regiões onde a distribuição elétrica é diferente, é de fundamental importância procurar um profissional que tenha conhecimento da tensão elétrica da região e o local onde executará o serviço, pois ele terá mais propriedade para saber como agir de acordo com a tensão do imóvel.

A vantagem dos aparelhos bivolts.

Como lidar com voltagens diferentes em uma mesma casa, se a voltagem de 110 volts é utilizada na iluminação e tomadas de uso geral e alguns produtos em 220 volts?

Um equipamento de 110 volts vai sofrer um curto-circuito se ligado em 220 volts e queimar. Além de queimar o aparelho existe o risco de fazer circular uma corrente de curto-circuito pela instalação elétrica capaz de causar danos em outros aparelhos e inclusive ocasionar incêndios.

Quando a voltagem é de 220 volts e algum eletroeletrônico é ligado em 110 volts, ele pode não funcionar, mas não vai sofrer danos ou funcionar com um desempenho muito abaixo.

A maioria dos aparelhos hoje são bivolts funciona tanto em 110 volts e 220 volts. Estes aparelhos podem ser bivolts e automáticos, quando a próprio equipamento reconhece a voltagem da tomada onde está ligado acaba se adaptando.

Caso você possua aparelhos sem essa possibilidade, existem transformadores usados para adaptar os eletrônicos a voltagens diferentes. Os transformadores têm entrada de energia para 110 volts e saída para 220 volts, ou vice-versa, para serem conectados à tomada e ao aparelho cuja voltagem não é compatível com a instalação elétrica da casa.

Se adaptando a viagens.

Quem viaja acaba levando na bagagem pelo menos algum desses itens, secador de cabelo, chapinha ou ferro de passar roupa e outros eletrônicos que na maioria das vezes funcionam com uma única voltagem. Nesse caso de voltagem incompatível basta usar um conversor.

É uma forma de garantir que a viagem não seja um desastre. Quando se trata de laptops, câmeras fotográficas e telefones celulares, geralmente são bivolts, pois são eletrônicos recarregáveis.